pt.m.wikipedia.org
Eleição presidencial do Egito de 2012
A eleição presidencial do Egito de 2012 foi realizada em duas etapas: primeiro turno em 23 e 24 de maio; e segundo turno em 16 e 17 de junho.[1] De acordo com o sistema eleitoral, se nenhum dos candidatos obtivesse a maioria absoluta dos votos (50%+1), um segundo turno seria realizado em 16 e 17 de junho, sendo de facto realizado, com a não confirmação de resultado conclusivo no primeiro turno.[2] Esta eleição é considerada histórica por ser a primeira eleição livre do país, já que nas outras não havia oposição de forma que o vencedor era óbvio.[3][4][5]
Eleição presidencial do Egito de 2012
  2005 ← 

 → 2014
23 e 24 de maio (primeiro turno)
16 e 17 de junho (segundo turno)
CandidatoMohamed MorsiAhmed Shafiq
PartidoPartido da Liberdade e da JustiçaIndependente
Votos13 230 13112 347 380
Porcentagem51,73%48,27%
  Mohamed Morsi

  Ahmed Shafik
Titular
Mohamed Hussein Tantawi
Presidente do Concelho Militar (interino)
Independente
Eleito
Mohamed Morsi
Liberdade e da Justiça (Irmandade Muçulmana)
O segundo turno confirmou a vitória dos islamitas, representados pelo Partido da Liberdade e da Justiça, conquistando 51,7%, tendo Morsi como primeiro presidente eleito em eleições livres na era pós-Mubarak.[6]
Contexto político
Ver artigo principal: Revolução Egípcia de 2011
Há 30 anos, o Egito foi governado pela ditadura de Hosni Mubarak. De 25 de janeiro a 11 de fevereiro de 2011 aconteceram uma série de manifestações de rua, protestos e atos de desobediência civil. Os principais motivos para o início das manifestações e tumultos foram a violência policial, leis de estado de exceção, o desemprego, o desejo de aumentar o salário mínimo, falta de moradia, inflação, corrupção, falta de liberdade de expressão, más condições de vida[7] e fatores demográficos estruturais.[8] A oposição a Mubarak levou a renúncia do presidente e vice em 11 de fevereiro de 2011. Tomou posse no lugar um Conselho Militar Supremo liderado por Mohamed Hussein Tantawi no qual declarou que passaria o governo aos civis — todos os presidentes desde a revolução de 1952 eram militares. Durante as manifestações, exigia-se eleições livres. Após a deposição de Mubarak, o Conselho Militar mudou a data das eleições várias vezes fazendo com que ela fosse adiada, o que provocou uma certa tensão.[9]
Resultados
EstatísticasPrimeiro turnoSegundo turno
Votos inválidos406 7201,72%843 2523,19%
Participação23 672 23646,42%26 420 76351,85%
Abstenções27 324 51053,58%24 538 03148,15%
Eleitores registrados50 996 74650 958 794
Primeiro turno
Resultados do primeiro turno da eleição presidencial do Egito de 2012
PartidoCandidatoVotosVotos (%)
 Partido da Liberdade e da JustiçaMohamed Morsi5 764 952
 
24,78%
 IndependenteAhmed Shafiq5 505 327
 
23,66%
 Partido da DignidadeHamdeen Sabahi4 820 273
 
20,72%
 IndependenteAbdel Moneim Aboul Fotouh4 065 239
 
17,47%
 IndependenteAmr Moussa2 588 850
 
11,13%
 IndependenteMohammad Salim Al-Awa235 374
 
1,01%
 IndependenteKhaled Ali134 056
 
0,58%
 Partido da Aliança Popular SocialistaAbu Al-Izz Al-Hariri40 090
 
0,17%
 Partido Nacional Unionista ProgressistaHisham Bastawisy29 189
 
0,13%
 IndependenteMahmoud Houssam23 992
 
0,1%
 Partido da Geração DemocrataMohammad Fawzi Issa23 889
 
0,1%
 Partido da Paz DemocráticaHoussam Khairallah22 036
 
0,09%
 Partido da AutenticidadeAbdulla Alashaal12 249
 
0,05%
Totais23 265 516 
Fonte: [10]
Segundo turno
Resultados do primeiro turno da eleição presidencial do Egito de 2012
PartidoCandidatoVotosVotos (%)
 Partido da Liberdade e da JustiçaMohamed Morsi13 230 131
 
51,73%
 IndependenteAhmed Shafiq12 347 380
 
48,27%
Totais25 577 511 
Fonte: [11]
Referências
Associated Press (1 de março de 2012). «Egypt sets date for presidential election». Business Day (em inglês). Consultado em 1 de março de 2012
«Colégios eleitorais no Egito abrem para segundo turno das eleições». Portal G1
«Eleição presidencial no Egito: doze candidatos e possível segundo turno». UOL. 22 de maio de 2012. Consultado em 24 de maio de 2012
«Eleição presidencial no Egito provoca grande mobilização de eleitores». Bom Dia Brasil. 24 de maio de 2012. Consultado em 24 de maio de 2012
«Primeiro turno das presidenciais no Egito termina sem violências». Rfi português. 24 de maio de 2012. Consultado em 24 de maio de 2012
«Candidato da Irmandade Muçulmana vence eleição presidencial no Egito». Portal G1
Jailan Zayan (25 de janeiro de 2011). «AFP – Egypt braces for nationwide protests». AFP. Consultado em 25 de janeiro de 2011
Andrey Korotayev, Julia Zinkina. Egyptian Revolution: A Demographic Structural Analysis. Entelequia. Revista Interdisciplinar 13 (2011): 139-165.
«Gabinete apresenta renúncia a militares no Egito». O Globo. 21 de novembro de 2011. Consultado em 24 de maio de 2012
BREAKING: Mursi, Shafiq officially in Egypt's presidential elections runoffs
«Candidato da Irmandade Muçulmana vence eleição presidencial no Egito». G1. 24 de junho de 2012. Consultado em 24 de junho de 2012
Este artigo sobre eleições ou plebiscitos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Última edição a 11 de fevereiro de 2019, às 21h33min
Conteúdo disponibilizado nos termos da CC BY-SA 3.0, salvo indicação em contrário.
Política de privacidade
Condições de utilização
Versão desktop
 Início Aleatório  Aqui perto  Entrar  Definições  Donativos  Sobre a Wikipédia  Avisos gerais
LínguaVigiarEditar